Altitude e "guerra" contra Flamengo: Brasileiro do Bolívar vê desafio nas oitavas.

24/4/2024 07:33

Altitude e "guerra" contra Flamengo: Brasileiro do Bolívar vê desafio nas oitavas.

Altitude e guerra contra Flamengo: Brasileiro do Bolívar vê desafio nas oitavas.

Em busca de sua primeira vitória como visitante nesta fase de grupos da CONMEBOL Libertadores , o Flamengo tem um confronto direto contra o Bolívar , pelo grupo E , nesta quarta-feira (24). E será na altitude de 3.640 metros de La Paz, capital da Bolívia, no Estádio Hernando Siles, onde os Celestes costumam dificultar a vida de seus adversários. Maior campeão do país - com 30 títulos nacionais -, o Bolívar possui um elenco recheado de jogadores de variadas nacionalidades.

Desde argentinos, uruguaios, canadenses a brasileiros. Entre os representantes do Brasil está o atacante Francisco da Costa , de 28 anos, que é o artilheiro do clube na temporada - e também na Libertadores - com 8 gols e 5 assistências em 9 jogos. Nascido em Taquari, no Rio Grande do Sul, Chico, seu apelido, foi revelado pelo Athletico-PR depois de passar pelas bases de Grêmio e Internacional , mas também vestiu a camisa de outros clubes brasileiros como Inter de Lages , Tombense e São José-RS antes de iniciar uma verdadeira aventura pelas Américas.

E que teve México, Paraguai, Colômbia e Bolívia no roteiro. E foi na altitude boliviana que o brasileiro teve, por enquanto, os melhores números da carreira. Na sua primeira passagem pelo Bolívar, em 2022 , marcou 24 gols e deu 11 assistências em 40 jogos. Após uma rápida passagem pelo Atlético Nacional , no futebol colombiano, no ano passado, retornou para La Paz e segue com o devido destaque. Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br , Francisco da Costa falou sobre as espectativas para o aguardado duelo contra o Rubro-Negro, que é comandado por Tite e tem um dos elencos mais estrelados das Américas. E tratou o jogo como uma "final antecipada", uma vez que o Bolívar tem 100% de aproveitamento e, em caso de um novo triunfo, encaminharia a vaga nas oitavas de final. Os cariocas têm quatro pontos.

O brasileiro também comentou sobre o tema da altitude, que sempre foi um pesadelo para os adversários se tratando das competições continentais, e admitiu que, de fato, este é um ponto a favor do Bolívar. "Desde o começo a Libertadores sempre é final. Fomos jogar contra o Palestino e entendíamos muito bem que o importante era somar de visitante e, se possível, três pontos. As circunstâncias do jogo se deram assim, acabamos fazendo 1 a 0, teve a expulsão e soubemos jogar com um mais. E contra Millonarios também. Era um confronto direto, tendo entendido que o Flamengo é favorito para classificar no grupo.

E agora, com as circunstâncias que se deram, ganhar do Flamengo entendemos, sim, que é botar um passo, um pé nas oitavas de final. É uma final, é uma guerra", começou por dizer. "Pode ter certeza que conversamos bastante no vestiário (sobre o jogo), sabemos a importância que é. O Bolívar, hoje, não é um clube que pede um título, não sentimos que tem essa obrigação, diferente de jogar em um time grande como o Flamengo. Mas sentimos aqui que as pessoas pedem para surpreender, e temos condição de surpreender. Surpreendemos ano passado (com Bolívar nas quartas) e temos vontade de fazer de novo. O primeiro passo é chegar às oitavas e depois começar a sonhar passo a passo.

Sobre o tema altitude e os 3.640 metros acima do nível do mar que o Flamengo terá pela frente, Francisco da Costa abriu o jogo. E admitiu ser um trunfo para os bolivianos em campo. “Eu não tenho nenhuma hipocrisia de falar sobre a altitude, porque é uma desvantagem para quem vem. As pessoas aqui dizem \'não tem que falar muito\', mas o fator climático existe em muitos lugares. O calor, o frio, a umidade e tudo mais. Mas, sem dúvidas, a questão da altitude é o mais difícil, porque não é uma questão de que está quente ou frio. Às vezes, é difícil jogar com a umidade, não é que falta ar, mas os jogadores sabem. A gente pode perguntar para qualquer jogador do Brasil como que é jogar às 11h em Goiânia ou coisas assim.

Mas, sem dúvida, a altitude é a mais difícil". "O torcedor vê pela TV e não se dá conta do difícil que é não estar adaptado à altitude. Millonarios, por exemplo, para mim, fez um jogo muito bom aqui. Em relação à parte física, conseguiram se movimentar bastante, tiveram um homem a mais no meio e isso ajudou bastante, porque é um time que já está adaptado. Bogotá tem altitude de 2.800m e aqui o (Hernando) Siles está a 3.600m.

O camisa 19 dos Celestes revelou, inclusive, que também sofreu com a altitude. Inclusive, não apenas na Bolívia, mas também no México, onde passou anteriormente. “No início, eu sofri (com a altitude). Minha história é assim, eu saio do Brasil jovem para o México e foi a minha primeira experiência com a altitude. Eu jogava em um time a nível do mar, mas jogávamos, sobretudo, com muitos times de altitude, porque o México, principalmente primeira divisão, os jogadores em sua maioria acontecem em altitude. Cidade do México tem 2.300m. Querétaro, onde eu joguei, tinha 1.800m, 2.000m, depois Toluca, que é mais alto, 2.700m, mas enfim, Pumas, Pachuca também, América, Cruz Azul. Muitos times são da altitude e eu não gostei. Minha primeira experiência foi ruim.

Agora, aqui na Bolívia, é mais alto. Quando cheguei, vim do Paraguai e pensava: \'ufa, acabou a altitude\'. Passaram seis meses e venho jogar no lugar mais alto, não só da América, acho que do mundo. E o começo foi um pouco complicado, essa questão dos treinamentos.

Eu realmente cansava bastante e com o tempo eu fui adaptando. Depois também é muito bonito quando você adapta e vai jogar no Siles, o campo é muito rápido e você sente que entende melhor o jogo que o adversário. Não só pela altitude, senão pela velocidade da bola. Faz o jogo muito rápido. Mas o começo foi um pouco complicado". play 1:38 Brasileiro do Bolívar diz o que pensa sobre altitude antes de duelo contra o Flamengo: \'É uma desvantagem\' Atacante Francisco da Costa concedeu entrevista exclusiva à ESPN Viralizou com reação após sorteio da Libertadores Em março, quando a fase de grupos da Libertadores havia sequer começado, Francisco e seus companheiros de Bolívar Patito Rodríguez e Bruno Sávio viralizaram por conta de um vídeo publicado nas redes sociais após o sorteio . E o que chamou atenção foram as reações distintas de cada um deles após saberem que o Flamengo estaria na mesma chave. Enquanto o ex- Santos Patito vibrou, Chico e Sávio mostraram preocupação. E ele contou os bastidores da cena. “Em um torneio como a Libertadores não pode escolher muito. São os melhores da América, mas eu e o Bruno já tínhamos entendido o Flamengo como um dos favoritos para ganhar. E a gente não queria pegar no grupo. Mas também sabemos como é difícil e como ninguém quer também hoje enfrentar o Bolívar aqui em La Paz. A gente demonstra também no começo do campeonato que a gente pode somar de visitante, não é algo habitual para esse clube, mas hoje em dia, com o projeto que tem de progredir fazendo, sentimos que podemos competir também em qualquer lugar da América. Mas foi divertido o vídeo. O Pato mais feliz por jogar no Maracanã e Rio de Janeiro".

Eu vi uma galera comentando, dizendo: \'Ai, eles estão felizes por ele, só por ir pro Rio\'. A gente vai para o Rio, eu passei o Ano Novo no Rio. Mas, no contexto de estar sempre jogando, viagem, eu acabo indo pouco para Porto Alegre, cidade de onde sou. Então a gente comemora por poder, além de jogar um grande jogo no torneio e voltar para casa, se sentir mais perto de casa, sentir o Brasil. O Pato morava em Florianópolis. Foi divertido o vídeo, foi espontâneo. Mas, pode ter certeza estamos felizes de jogar em um estádio como Maracanã nessa circunstância, porque eu acho que é diferente de jogar no Maracanã, não sei, em qualquer dia por outro torneio, do que jogar numa quarta-feira de noite em uma situação de Libertadores. Estamos motivados", disse.

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por SportsCenter Brasil (@sportscenterbr) Se emocionou em encontro com Adriano Imperador Apesar de ter vestido o manto de outro Rubro-Negro do país, o Athletico, Francisco da Costa tem uma história curiosa com um dos ídolos da torcida do Flamengo: Adriano . Em 2014 , durante a sua passagem pelo CT do Caju, Chico conheceu o Imperador pessoalmente. Isso porque, à época, depois de ficar um período longe dos gramados após deixar o Flamengo em 2012 , o astro disputou 4 jogos pelo Furacão e anotou um gol.

Referências:
https://www.instagram.com/reel/C4reXx1NpQR/?utm_source=ig_embed&utm_campaign=loading

590 visitas - Fonte: -


VEJA TAMBÉM
- REFORÇO IMPORTANTE! Flamengo contará com reforço em próximo jogo da Copa do Brasil
- ABORRECIDO! Gabigol demonstra chateação após punições no Flamengo
- CRÍTICAS À GABIGOL! Torcedores do Flamengo protestam em partida da NBB



Instale o app do Flamengo para Android, receba notícias e converse com outros flamenguistas no Fórum!

Mais notícias do Flamengo

Notícias de contratações do Flamengo
Notícias mais lidas

Comentários do Facebook -




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias do Mengão

publicidade

Brasileiro

Sb - 21:00 - -
X
Vasco Da Gama
Flamengo

Libertadores

Qua - 21:30 -
4 X 0
Flamengo
Bolívar